20 fevereiro 2010

ver e ouvir jazz "às escondidas"

começou, esta noite, o 8º festival de jazz de Portalegre! Carlos Barreto Trio para abrir. estive lá e gostei.



o bilhete custou 8€. depois do espectáculo o programa continuou no café-concerto com mais um grupo a tocar. não sei qual. as minhas desculpas. bilhete a 3€. amanhã há mais e no próximo fim-de-semana também. quem quiser ainda vai a tempo de comprar o livre trânsito por 28€. e ainda degustar um bom vinho e uns bons sabores da região, como enchidos ou as deliciosas boleimas (bolo com açúcar e canela).

mas não foi só por isso que me apeteceu escrever. mal ecoaram as primeiras notas pela sala viajei uns bons anos para o passado e revi uma grande e maravilhosa noite na minha vida. teria 14 anos, talvez menos. convenci o meu pai a levar-me a um concerto do grupo em Évora, num hotel. a ocasião? jantar de Natal de uma empresa espanhola. O grupo tocaria durante a refeição e amimaria a noite com baile. jantei com os músicos e fiquei na suite destinada ao grupo para trocarem de roupa. entediei-me! enchi-me de coragem e desci até ao salão. não podia entrar. ou pelo menos não devia. sorte a minha. as portas de acesso eram em vidro e, quase por milagre, havia lá uma cadeira. então pude sentar-me e ficar ali a ver e a ouvir aquela música que tanto me faz sonhar...

com o passar das horas, e já o jantar tinha terminado, as pessoas levantam-se e eu posso aproximar-me, ver mais de perto! divinal sentir aquele som tão intenso. o auge... sim, o auge acontece com Blue Train, de John Coltrane, a minha música de jazz favorita... magnífica noite, essa em que fui uma espécie de espião musical!


1 comentário:

meio limao disse...

Carlos Barreto Trio, muito bom! Só tenho pena de não haver mais Jazzfest para mim este ano...